Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Style You

Por João Miguel Barbosa

Curiosidade - As riscas!

Na Idade Média, as roupas com riscas, eram reservadas às pessoas que tinham supostas ligações com o diabo. Os loucos, os excluídos da sociedade, as prostitutas ou os presidiários vestiam roupas com riscas e por isso o padrão não era bem visto.

 

Aos poucos as riscas começaram a ser aceites. No século 18, os marinheiros adoptaram as riscas como um meio visual de diferenciar o grumete (marinheiros de nível inferior) do chefe de bordo. Além disso, as riscas foram escolhidas para o desenho da bandeira Americana, sendo assim associadas à liberdade e à vitória.

 

Com o tempo, as riscas começaram a surgir nas roupas de praia, toalhas, chapéus, camisas e muitos outros artigos, tornando-se assim muito populares e agora um padrão incontornável.

 

Style you

A ver!

DiaryArticleDouble_Chatsworth-Exhibit-05a_001_Defa

Recentemente, a Chatsworth House, em Derbyshire, na Inglaterra, serviu como cenário para a campanha Cruise 17 da Gucci. A marca italiana, então, anunciou o plano de se unir à histórica mansão inglesa para desenvolver um programa cultural focado em moda e estilo até 2019. Eis que o primeiro fruto desse plano é a exposição House Style: Five Centuries of Fashion at Chatsworth, patrocinada pela Gucci.

 

Residência da família Cavendish, mais especificamente dos Duques e Duquesas de Devonshire, desde 1549. A casa sempre foi associada à moda. Georgiana Cavendish, a 5a Duquesa de Devonshire, – retratada no filme « A Duquesa », com Keira Knightley -, foi um ícone de estilo, usando tecidos e modelagens à frente do seu tempo. Espécie de it girl do século 18 e conhecida no Reino Unido como “Imperatriz da Moda”, era tida como uma figura inspiradora e referência em se tratando de imagem de moda tanto para o povo quanto para outros aristocratas, inclusive a francesa Maria Antonieta.

 

Outros tantos convidados distintos cruzaram os corredores da casa: a irmã de Fred Astaire, Adele Astaire; Kathleen Kennedy; e Stella Tennant neta do 11º Duque e da Duquesa Deborah Cavendish (que, além de ser uma das seis irmãs Mitford, foi musa para alguns desenhos de Oscar de la Renta). Foi lá também que aconteceu um baile que celebrava o Jubileu de Diamante da Rainha Victoria, em 1897, “a festa do século” segundo alguns historiadores.

 

A ideia da exposição surgiu quando a ex-modelo Laura Roundell, nora do atual Duque, portanto, Condessa de Burlington, procurava por um traje de batismo para o seu filho, James, pelos quartos de roupas da mansão. Depois de mexer em inumeras caixas contendo artigos desde fardas e mantos de coroação a vestidos de alta costura de Jean-Philippe Couture, ela convidou Hamish Bowles, Editor Internacional da Vogue, para fazer a curadoria dessas peças e organizar uma mostra. O resultado é House Style: Five Centuries…, que conta ainda com a direção criativa de Patrick Kinmonth e Antonio Monfreda, dupla responsável pela retrospectiva da Valentino na Somerset House, em 2012, e que levou ao MET de NY, em 2004, a expo Dangerous Liaisons: Fashion and Furniture in the 18th Century. 

 

Broches de ouro da Duquesa Georgiana, os sapatos de crocodilo do 11º Duque, um vestido usado na coroação do Rei George VI e da Rainha Elizabeth, fascinados Stephen Jones, um Dior rosa claro de 1953, feito sob medida são alguns dos mais de 100 itens que compõem a mostra, dividida em quatro partes diferentes: “The Circle of Life”, que conta com roupas usadas em ritos de passagem como batizados, casamentos e funerais dipostas em diversos pontos do castelo, dos jardins à capela; “Devonshire House Ball 1897”, exibe sete das vestes usadas por convidados no famoso baile cujo tema era “costumes alegóricos e históricos de antes de 1815”; “Traditions and Transgressions” leva peças que apresentam essa dualidade ao Painted Hall, um dos saguões principais da casa com um enorme afresco pintado no teto, onde vestidos usados em coroações e peças punk colidem, mostrando a evolução da vestimenta formal vestidas por figuras como as Duquesas Mary e Evelyn e pela modelo Stella Tennant; e em “Fashion’s Favorites”, os visitantes podem ter uma ideia mais ampla do estilo dramático e romântico da Duquesa Georgiana, com peças que ela, de fato, vestiu e também peças mais recentes que dialogam com seu estilo, como um vestido de baile da Dior, de 1998, assinado por John Galliano.

 

Além de itens históricos, House Style: Five Centuries of Fashion at Chatsworth também apresenta a belíssima colecção de peças contemporâneas da família Cavendish, com marcas atuais tais quais Alexander McQueen, Maison Margiela, Vetements, Tom Ford, Erdem e Vivienne Westwood, além de dois vestidos criados por Alessandro Michele para a Gucci, inspirados nos livros de ilustrações naturalistas de Maria Sibylla Merian que o estilista encontrou na casa.

 

House Style: Five Centuries of Fashion at Chatsworth, pode ser visto até 22 de Outubro.

Os Relógios

Acessório incontornável, extremamente elegante e muito útil!

 
Nos dias de hoje deixaram de cumprir a sua função meramente informativa, a de dar horas, mas também são vistos como um complemento fantástico a todo um conjunto ou visual, ganharam cor, design arrojado e passaram a ser um item importante na expressão de cada um.
 
Porém existem alguns cuidados especiais, para que o seu uso seja o mais pragmático possível, sendo que será necessário ter em consideração se o irá usar em actividades ao ar livre, para o dia-a-dia e/ou festas. Pois não adianta colocar uma roupa elegante com um modelo de relógio desportivo, o resultado seria desconcertante!
 
Como o objectivo final é ficar bonito e prático, interessa ter em conta o tamanho do pulso, o objectivo ou fim a que se destina, além do meramente prático de ver horas, o seu Estilo, a sua adaptação ao mesmo e mais importante o seu peso, pois após algumas horas, poderá ser muito incomodativo ou até mesmo insuportável, se o relógio for de grande porte e/ou peso. O lema principal é experimentar vários modelos e escolher aquele que mais se enquadra com o seu gosto, carácter, fisionomia e ocasião!
 
Nos dias de hoje a tendência são os relógios grandes, aplica-se ao público masculino ou até mesmo feminino. Os apliques, braceletes e fundos variam conforme o gosto, mas não ficam universalmente bem ou bonitos a todos. Ter sempre em mente as proporções e gosto, adaptando-os a cada pessoa!
 
Style you

By Balenciaga

balenciaga-fall-winter-2017-campaign04.jpg

A nova campanha de Inverno 18 da Balenciaga inaltece o espírito criativo de Demna Gvasalia com o seu olhar ao comum, “melhorando, destacando e reapresentando aquilo que já existe sob uma nova luz”.

 

Num cenário com padrões repetidos com o logo da marca – o mesmo que serviu como pano de fundo para o desfile apresentado em março último durante a semana de Paris –, a atriz dinamarquesa Emma Leth e as modelos Sveta Black, Oliwia Lis, Kennah Lau e Barbra-Lee Grant posam para as lentes de Johnny Dufort sentadas ou apoiadas numa cadeira.

 

A artista nova-iorquina Eliza Douglas, integrante da turma de Demna (ela também é musa de Anne Imhof, artista premiada recentemente com o Leão de Ouro no festival de Veneza), também dá a cara para  a campanha, que teve styling assinado por Lotta Volkova. O resultado são imagens com aspecto de fotografias instantaneas, “sem filtros”.

 

“A série retrata um ponto de vista específico do director criativo Demna Gvasalia: a atitude que incorpora as suas ideias sobre moda ao observar a vida real trazendo a surpresa do comum”, diz o anúncio divulgado pela marca.

 

Ainda sob o universo criativo de Demna, recentemente a marca Francesa lançou a nova versão de seu e-commerce e apresentou o novo conceito de flagship, com a reforma da loja na Rue Saint-Honoré, em Paris, projetada para se assemelhar a um armazém industrial de roupas, com uma paleta monocromática e tecto e estantes de alumínio. Em Setembro, a loja da Avenue Montaigne também recebe o mesmo conceito.

Cuidados a ter com os Sapatos

De uma Estação para outra, alguns modelos de sapatos deixam de ser usados!

 
No Verão, as botas e os sapatos fechados ficam guardados, enquanto no Inverno, é dado o lugar as sandálias e sapatos abertos e/ou frescos.
 
Nunca se deve amontoá-los pois ficam deformados e sem brilho, sendo que vale a pena cuidar dos sapatos, mantendo-os mais belos por muito mais tempo.
 
A ter em conta as principais dicas:
Espaço: utilizar uma mala ou caixa para guardar os seus sapatos, se a sapateira for pequena. Evitar amontoá-los para não perderem a forma. Porém deixar à vista os sapatos de uso diário, bons para todas as estações.
 
Sapatos em geral: guarda-los sempre limpos e antes disso, deixa-los descansar fora do armário para apanhar ar. Mante-los de preferência, nas suas caixas originais ou em sacos de algodão, flanela e/ou tecido-papel, porém, nunca em sacos plásticos. Todos os
sapatos podem ser recheados até o bico com papel jornal amarrotado, este recurso substitui as formas de madeira.
 
Sapatos em tecido: limpar com pano embebido em álcool. Guarda-los envolvidos em papel de seda azul-claro e junte pimenta-do-reino em grãos ou a boa e velha naftalina para afastar as traças.
 
Sapatos em tons claros: utilize uma borracha branca (escolar), e num único sentido esfregue, como se fosse "apagar" as impurezas e marcas.
 
Sapatos com detalhes em metal: forre os metais que enfeitam o sapato com gaze para curativos ou algodão, assim o brilho dos detalhes durará por mais tempo.
 
Sapatos de verniz: limpa-los com um pano embebido em glicerina ou azeite. Nunca deixar um sapato de verniz sob outro, pois o peso pode estragar o lustro.
 
Botas: preenche-las com jornal até o bico. No cano, coloque uma cartolina enrolada. Envolver os pares com papel de seda.
 
Escarpins ou mocassins: preenche-los com papel de seda amarrotado e depois pressionar com um tubo de caneta esferográfica, sem a tinta, do bico ao contraforte traseiro.
 
Style you

Fashion For Relief

810-2.jpeg

No início deste ano, uma viagem de Naomi Campbell ao campo de refugiados Zaatari, na Jordânia, marcou o início de uma parceria de 12 meses entre a Fashion For Relief, instituição fundada pela modelo, e a ONG Save the Children. “Conheci muitas crianças traumatizadas, que mal conversam mais. E também vi pessoas dando força e esperança umas as outras. Foi uma experiência impactante e inspiradora”, contou a modelo, em entrevista a um jornal britânico.

 

Foi um relatório sobre os efeitos da guerra na saúde mental das crianças sírias que despertou em Naomi o desejo de fazer dos pequenos refugiados o foco da ação mais recente da Fashion For Relief: uma colecção de camisolas desenvolvidas em colaboração com a Diesel. “A Fashion For Relief trabalha em situações de emergência em conjunto com outras organizações ativas. Esse projeto, incrível e especial, vai prover o socorro e apoio tão necessários às crianças refugiadas”, explica sobre a linha.

 

Intitulada Child at Heart, a colecção conta com camisolas de algodão com dois tipos de padrão de desenhos infantis: corações desenhados nas cores do arco-íris e uma joaninha. O dinheiro das peças será destinada à campanha Every Last Child, da Save the Children por intermédio da organização de Naomi, que desde 2005 já angariou quase 6 milhões de dólares para causas sociais como assistência a vítimas do furacão Katrina e de epidemias como o vírus ebola.

 

Ver o video da campanha aqui.

As Tachas

As tachas continuam muito na Moda para esta estação!

 

Aparecem em roupas, sapatos, malas, pulseiras, colares, cintos, brincos e anéis. Podem incrementar o visual de pessoas de estilos variados, não só as mais irreverentes, como também as mais delicadas.

 

A ter em conta, as quatro dicas mais importantes:

- Idade
Pessoas de qualquer idade podem usar tachas, só é importante ter especial atenção ao tipo de aplicação. Escolher as mais pequenas e discretas quanto mais a idade avança

 

- Equilíbrio
Quando as tachas são brilhantes, é melhor optar por outras peças de roupa mais simples. As tachas desgastadas, foscas ou mais escuras, já permitem o uso em maior quantidade, mas sempre é recomendada a busca pelo equilíbrio: uma peça bem cheia de tachas e as outras mais discretas

 

- Cor 
Pode-se misturar aplicações douradas e prateadas, desde que haja um motivo visual que o justifique. O motivo pode ser uma peça (roupa ou bijuteria) que misture dois banhos onde a partir dessa mistura inicial, as peças adicionais estarão justificadas. De maneira geral o dourado é mais extravagante e chamativo, remete à ideia de glamour. O prateado é mais frio e discreto, ligado à elegância e à discrição. Os metais com brilho trazem glamour, podendo chegar a ser um pouco exagerados. Os foscos ou desgastados/envelhecidos são versáteis, mas dão aspecto mais discreto, quando em pouca quantidade, ou peso ao look, quando em muita quantidade, podendo até passar uma mensagem mais rock and roll

 

- Tipo de corpo
As aplicações adicionam volume e chamam atenção para a região em que estão. Portanto, a evitar colocá-las em partes do corpo mais avantajadas. Sendo que no caso das gordinhas, é interessante optar por peças com metal na região dos ombros ou em acessórios. As altas e as magras podem usar tachas em qualquer zona do corpo, não esquecer o bom gosto. Quem tem ombros largos pode investir em colares, anéis ou roupas com enfeites de metais na zona dos botões ou num padrão que fique ao centro do corpo.

 

Style you