Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Style You

Por João Miguel Barbosa

Calças de Fato para Homem

As calças de fato para homem não são somente para usar com o blazer e gravata, alias podem e ficam muito bem até mesmo sem conjugar uma camisa!

 

A usar com t-shirts e polos, são uma óptima dica de quem quer variar das calças de ganga. São uma fantástica opção para um visual aprumado ou até mesmo um pouco mais descontraído.

 

Dar mais cor às outras peças a conjugar, se as calças forem de cor sóbria ou pastel.

 

Igualmente é possível ousar um pouco mais, podendo-se escolher calças com cores mais ousadas, que dão um ar ainda mais único.

 

Somente ter atenção ao corte das calças, mantendo o mais próximo do slim-fit, nem muito apertado e nem tão largo.

 

Style you

News

ModaLisboa.jpg

MODALISBOA AWAKE, em co-organização com a Câmara Municipal de Lisboa, regressa ao Campo de Santa Clara, de 5 a 8 de Março, para apresentar as Coleções para o próximo Outono/Inverno 2020/2021 dos nossos criadores, ao mesmo tempo que dedica toda a programação aberta ao público à sustentabilidade. Em linha com a eleição de Lisboa como a Capital Verde Europeia 2020, é este o nosso compromisso e é esta a nossa única forma de olhar o futuro - afinal, “acordar” não significa só despertar, mas concordar, e todos concordamos que esta é a única forma de avançar. A MODALISBOA AWAKE vai também abrir-se ainda mais ao mundo com o projeto United Fashion, que trará a Lisboa 15 jovens designers, numa promoção única da Moda independente europeia.

 

Fazer a diferença depende de nós. Agir depende de nós. Escrever o novo capítulo na história da indústria depende de nós. Apoiar o tecido de novos designers, dos corajosos que desafiam as regras, dos que compram produto local, dos audazes que conseguem fazer sentido do ruído do constante fluxo de informação depende de nós. É deles o amanhã. É nosso o amanhã.

 

MODALISBOA AWAKE. O futuro está nas nossas mãos.

(Notícia ModaLisboa)

Ir às Compras

Um simples passeio num Centro Comercial, para algumas pessoas que não conseguem evitar promoções ou grandes liquidações, pode transformar-se num verdadeiro perigo – acaba-se por comprar imensas peças de roupa apenas por impulso e sem antes refletir sobre determinado produto!

 

Às vezes, nem mesmo depois de se passar um longo período a experimentar peças de roupa, consegue-se livrar do arrependimento de inúmeras compras que nunca vão ser usadas.

 

A ter em conta os erros típicos que se costumam cometer aquando se esta a experimentar roupas e saber igualmente como evitar as armadilhas:

- Nunca comprar peças de roupa se estas não tiverem no tamanho certo - encolher a barriga e prometer futuras dietas só para caber num vestido vai somente criar falsas ilusões e com que se deixe de experimentar novas opções que podem ficar ainda melhores

 

- Experimentar roupas somente com a luz do provador é um erro grave, já que elas podem iludir a visão, logo dar uma volta pela loja para ver a roupa com uma luz diferente é a melhor opção

 

- Ir sempre acompanhado aquando se for experimentar roupas, pois confiar completamente no espelho do provador pode causar grandes arrependimentos. Uma segunda opinião pode alertar para pequenos defeitos que sem uma segunda opinião não se repara

 

- Para quem sair de casa já com a disposição de comprar determinada peça, ir já com um par de sapatos que se acredite que se vá usar com visual

 

- Se possível experimentar o visual com pelo menos o mínimo de maquilhagem e/ou o cabelo penteado, pois ajuda a visualizar o resultado final, logo a escolha será mais certeira

 

- Não se deixar levar pela pressão de um vendedor -  ver e escolher as roupas com tempo, observando cada detalhe da peça e de como ela fica no corpo

 

Style you

A ver!

design_saobento_01-310x450-upscale(1).jpg

Uma exposição commais de 80 peças de design português inaugurou no dia 25 de janeiro na residência oficial do Primeiro-Ministro“Design em São Bento - Traços da Cultura Portuguesa” apresenta uma seleção de mobiliário, luminária, objetos decorativos, alfaias agrícolas, tapeçarias e peças científicas do século XII ao XXI, que evidenciam traços da cultura material portuguesa. A mostra estará patente até 30 de junho de 2021, com visitas guiadas todos os primeiros domingos de cada mês, das 11h às 13h.

 

Depois de três edições do ciclo Arte em São Bento, em que durante um ano um comissário expõe peças de Arte Portuguesa no Palácio de São Bento, a residência oficial do Primeiro-Ministro passa a ter também um programa de design. Uma iniciativa do Primeiro-Ministro, António Costa, concretizada em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e o MUDE - Museu do Design e da Moda.

 

Na base da exposição “Design em São Bento – Traços da Cultura Portuguesa” está o conceito de “diálogo entre a seleção de peças e outras já existentes naquele lugar, que, fazendo uso de materiais como o vidro, a pedra, a tapeçaria ou a cortiça, dão uma visão da portugalidade num sentido mais amplo”, afirmou Bárbara Coutinho, diretora do MUDE. Todas as peças selecionadas visaram “materializar um conceito e espelhar um país” e dessa forma transformar “um lugar de soberania em epicentro da cultura portuguesa”.

 

A conjugação do conforto e da funcionalidade para quem vive e trabalha no Palácio de São Bento com a componente de design de interiores foram os principais critérios que orientaram o desenho da exposição.

Um trilho de alfaia agrícola, um contador de Filipe Alarcão, uma tapeçaria de Vanessa Barragão, um candeeiro de cortiça de Miguel Arruda, uma peça de cerâmica de Rosa Ramalho, um louceiro lacado do século XVII, um baú do século XVI, uma tapeçaria de Almada Negreiros, um candeeiro da Boa Nova de Álvaro Siza, uma tapeçaria de Daciano da Costa, uma secretária de Filipe Alarcão, um prato de parede de Bordallo Pinheiro com intervenção do artista Vhils são apenas algumas das peças que estarão em exibição nas três salas e no átrio do Palácio de São Bento.

 

Mais de 80 autores e 30 marcas portuguesas estão representadas nesta mostra, que conta com a colaboração de municípios, museus, empresas, designers e coleções privadas.

(Notícia ModaLisboa)

Como Disfarçar a Barriga

A dúvida do que vestir quando se tem a barriga proeminente é comum a muitas mulheres. Aqueles pneus indesejáveis são algo que a maior parte das mulheres pretende disfarçar, quando vão às compras ou se deparam com o guarda-roupa.  

 

Enquanto se trabalha para eliminar a barriga com dieta e exercício físico, pode-se ir disfarçando e escondendo com certas dicas de moda, a ter em conta as 6 principais:

- Mudar de estilo de calças de ganga: Usar cintura alta

As calças de ganga com cintura alta são óptimas para esconder a barriga, por mais que seja mais comum usar calças de cintura baixa, as de cintura alta combinam igualmente muito bem, ficam muito bonitas e ajudam a disfarçar a barriga .

 

- Usar blusas largas

As blusas largas com calças de ganga ou leggings também são uma excelente opção para esconder a barriga. Nas lojas pode-se encontrar muitas formas para poder combinar as blusas ou camisas mais largas com calças justas. Os tecidos vão ser igualmente uma magnífica e mais completa ajuda.

 

- Casacos de Malha  

Os casacos de malha podem ser aliados perfeitos para poder esconder a barriga. Para conseguir isto terá que ser deixado aberto e caído dos lados. Se o casaco for longo pode-se colocar um cinto médio/largo por cima para criar a ilusão de corte na cintura.

 

- Tecidos com elástico na parte de cima

Os tecidos com elástico podem ser muito uteis para esconder os quilinhos a mais - uma blusa com elástico combinada, por exemplo, com leggings, não terá nem sinal de barriga - ajuda a disfarçar.

 

- Usar muito vestidos e saias

Os vestidos e as saias também são um óptimo aliado para disfarçar a barriga, mas será necessário encontrar aquelas peças que potenciem as curvas, mas também que disfarcem a zona abdominal. Os vestidos justos e decotados e de saia rodada ficam óptimos, e as saias de cintura alta melhor ainda.

 

- As cintas

Para quem quiser esconder a barriga, nunca esquecer as cintas. É possível que logo após a comprar exista uma sensação de desconforto, mas rapidamente se torna hábito e cria-se o efeito contrario - além disso, as cintas ajudam a dar forma ao corpo, deixando-o ainda mais bonito do que ele já é.

 

Style you

By Gucci

guccicampaign-ss2020.jpg

A parceria entre o director criativo da Gucci, Alessandro Michele e o director de cinema Yorgos Lanthimos acaba de ganhar um novo capítulo.

 

Após a parceria com o mais recente livro da marca, Oviparity, Yogos escolheu Los Angeles para filmar e fotografar a campanha de Primavera/Verão 2020 da marca Italiana.

 

A grande surpresa foi na escolha do protagonista - nada de Iggy Pop ou Sienna Miller desta vez, mas sim cavalos. 

 

O animal, acompanhado de modelos, nada na piscina do hotel Chateau Marmount, corre na praia, fica preso no trânsito da cidade, em situações ambíguas, quase mesmo surreais.

 

Toda a atmosfera e fotografia tem uma grande estética vintage, tão forte e já conhecida no trabalho de Michele.

 

Para completar a campanha na perfeição, a escolha da musica  foi “Everybody’s Talkin’ ” de Harry Nilsson, gravada em 1968.

 

Ver aqui o vídeo da campanha.

A Moda após os 40

Cada vez mais é difícil saber a idade exacta de uma mulher. O culto à juventude, a valorização da actividade física e os procedimentos médicos e estéticos disponíveis podem, de facto, retardar os efeitos do envelhecimento ou, pelo menos, escondê-los.

 

Uma aparência mais jovem geralmente vem acompanhada de roupas mais ousadas, ajustadas e que revelam as formas. Mas não existe apenas um factor que define a escolha de um visual. Mas entre o corpo e a idade, este último prevalece.

 

O estilo de uma pessoa não precisa mudar simplesmente porque os anos passam, mas é preciso adequá-lo à nova realidade. O facto de uma mulher ter um corpo ainda jovem, mesmo tendo mais idade não significa que seja indicado usar as mesmas roupas de quando era mais nova.

 

Se uma mulher com formas perfeitas e com 25 anos, usar uma mini saia para um evento, vai chamar atenção pela beleza. Já uma com as mesmas formas, mas com 50, será interpretada de maneira completamente diferente.

 

O decote não está necessariamente está ligado à idade, mas sim ao tipo físico à ocasião.

 

Uma mulher mais madura deve pensar mais em comprimentos próximos aos joelhos, ou até aproximadamente três dedos acima.

 

Com o passar dos anos, a idade aumenta e comprimentos também. A mulher sensual não é aquela que deixa tudo explícito, deve-se criar assim um certo mistério!

 

É preciso “filtrar” as tendências de moda, sendo que muitas marcas fazem peças para desfiles e versões para a vida real. De maneira geral, deve-se usar apenas roupas que favoreçam a morfologia.

 

Usar peças com mais detalhes ou mais básicas varia de acordo com o estilo de cada pessoa, não precisa mudar com a idade. Não é a moda que deve ditar o que será usado, pois ao usar o que ditam as tendências, seria necessário mudar o guarda-roupa a cada estação.

 

Para uma mulher ser elegante nesta fase da vida são os detalhes que fazem toda a diferença. Logo, é necessário invistir em acessórios como sapatos, sandálias, cintos e malas, se o objetivo final é uma imagem elegante e sóbria.

 

Elegância é saber que cada idade tem a sua beleza e as suas vantagens e que amadurecer é poder experimentar coisas novas.

 

Não existem visuais velhos ou antiquados, mas sim adequados ou inadequados, de acordo com o estilo de cada mulher, além da situação e do tipo físico.

 

O mote é sempre o bom senso!

 

Style you

Candidatura para Voluntários

ModaLisboa.jpg

Uma Semana de Moda, como qualquer evento, como qualquer ação, é feita de pessoas. A procura constante por novas visões, novas vozes e novas perspetivas é o que nos move, é o que move a Moda e é o que move o mundo. Trazer para dentro da equipa os olhos frescos de quem começa agora e a vontade de quem quer aprender é um dos grandes motores da ModaLisboa, e é por isso que voltamos a abrir o nosso programa de voluntariado.

 

Numa edição que será especial, única e reforçada, que se abrirá ainda mais ao mundo e ainda mais a Lisboa, direcionamos esta chamada a estudantes de moda, design, arquitetura, arte e produção de eventos, mas abrimo-la também a todos os que olham para a Moda como uma disciplina que transcende em muito a roupa.

 

Serão cerca de 35 os voluntários selecionados para colaborar na 54ª edição da ModaLisboa, de 3 a 8 de março de 2020, e a ficha de inscrição está disponível em voluntarios.modalisboa.pt, até ao dia 3 de fevereiro. Queremos pessoas que trabalhem connosco no coração da Lisboa Fashion Week: na produção, nos bastidores, na sala de imprensa, nas salas de desfiles, nas áreas expositivas e na moderação do público. Queremos quem seja rápido, quem goste de aprender, quem goste de fazer contactos, de conhecer o evento a fundo. Queremos quem queira fazer parte da mudança.

(notícia ModaLisboa)