Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Style You

Por João Miguel Barbosa

A Não Perder!

ModaLisboa_Multiplex_02.jpg

Já houve e continuará a haver muitas tentativas para apaziguar a moda, para a fechar dentro de um só conceito, para a confinar a um só espaço, para a definir de uma só forma, para a ver sob uma só perspetiva.

 

MODALISBOA sempre lutou e continuará a lutar contra essa urgência em reduzir, domesticar e compartimentar a moda, como se ela fosse um traje que se guarda no armário, uma moldura que contemplamos sem pensar, ou uma obra de arte transformada em objeto de status e ostentação individual.

 

MODALISBOA MULTIPLEX é o resultado de um trabalho permanente e contínuo desenvolvido pela ModaLisboa em Portugal ao longo dos últimos 27 anos, e será por isso uma edição que reflete a forma viva, orgânica, polivalente, multidisciplinar, agregadora e imprevisível como a Moda se desenvolve no mundo e entre as pessoas.

 

MULTIPLEX será aquilo que as pessoas trouxerem e decidirem levar. Será uma visita guiada a vários espaços de criação, a várias formas de intervenção, a várias identidades artísticas, refletindo a forma como as artes e os ofícios comunicam entre si nesta teia multidisciplinar de produção e indústria.

 

Nesta edição falaremos várias línguas, conheceremos várias realidades, partilharemos várias perspetivas. MULTIPLEX não significa apenas que várias modas irão coexistir dentro de uma geografia comum, mas que a Moda se irá exprimir numa espécie de open space emocional, como um atelier com vista privilegiada sobre o mundo.

 

MULTIPLEX apresenta as coleções Primavera/Verão 2019 no Pavilhão Carlos Lopes, mas não limitará a sua atividade à nave central do Parque Eduardo VII, sugerindo novos locais, novas iniciativas, novas parcerias e uma série de novos eventos.

 

A semana de moda irá abranger locais como a Estufa Fria, o Museu de Arte Antiga e o Cinema São Jorge. MULTIPLEX assinala ainda a parceria com dois festivais de cinema: o Queer Lisboa e o DocLisboa 2018.

 

O concurso Sangue Novo, dia 12 de outubro, volta a integrar designers nacionais e internacionais, num elenco de dez nomes selecionados pelo júri composto por Miguel Flor, Alfredo Oróbio e Cláudia Barros.

 

Check Point será uma nova forma de pensar e debater profissionalmente a Moda, integrando as Fast Talks, no dia de abertura, uma área de exposição com as coleções do Sangue Novo e outras novidades.

 

Também no dia 11 de outubro, alguns dos designers que já passaram pelo Sangue Novo irão poder apresentar as suas novas coleções num evento aberto ao público a decorrer nos jardins da Estufa Fria.

 

O Wonder Room, pop-up store de marcas e designers nacionais, apresenta mais de 24 participantes nesta edição.

 

MULTIPLEX. Um património, muitas vidas.

 

MODALISBOA MULTIPLEX
SS 19
11. 12. 13. 14 OUTUBRO 2018
PAVILHÃO CARLOS LOPES

(notícia ModaLisboa)

Sapatos para Entrevista de Emprego

Escolher o conjunto adequado para um entrevista de emprego pode ser todo um desafio. Mas além das peças de roupa adequadas, os acessórios e calçado têm um papel importante para quem quer deixar uma boa impressão.

 

A ter em conta a lista de sapatos que nunca se deve usar numa entrevista de emprego:

- Ténis

Não importa que seja um trabalho informal e descontraído, na primeira entrevista de emprego deve-se sempre tratar de ficar o melhor possível, mesmo que o visual de trabalho se modifique no dia a dia

 

Os ténis, por mais cômodos que sejam não dão uma imagem seria e apropriada para uma entrevista de emprego

 

- Sandálias e sapatos com ponta aberta

Os chinelos sem duvida estão proibidos para uma entrevista de emprego

 

Nem sempre é o caso, mas dependendo do tipo de trabalho às vezes as sandálias e os sapatos com pontas abertas tão pouco são recomendáveis - é melhor optar por uns clássicos sapatos de salto baixo.

 

Embora se possa pesquisar mais sobre a empresa e escolher um modelo de sandálias clássicas e elegantes

 

- Sapatos com brilho

Os sapatos com brilho são outra opção que devem estar limitados apenas para um visual muito descontraído ou nocturno. O mesmo serve para os sapatos estampados ou muito coloridos

 

Para uma entrevista de emprego, sempre é melhor optar por uns sapatos clássicos sem detalhes, nem apliques ou cores chamativas

 

- Sapatos muito altos

Os saltos agulhas e as plataformas não são apropriados para um ambiente de trabalho. Pense que eles não vão só avaliar sua capacidade como também seu aspecto

 

Com sapatos muito altos é difícil a locomoção com comodidade e tão pouco dará uma boa imagem. Sem contar que fica demais para um look de entrevista de emprego

 

- Sapatos sujos ou rasgados

É bastante obvio, mas deve-se sempre verificar a imagem dos pés a cabeça antes de sair para uma entrevista de emprego

 

Evitar escolher sapatos que não estejam em perfeito estado, por mais que eles sejam os favoritos, sem falar das roupas que devem estar limpas e passadas a ferro para não dar uma imagem descuidada.

 

Não importa o tipo de trabalho que seja e nem que seja informal, no momento da entrevista devemos ter uma imagem bem cuidada, apropriada e elegante. Por isso, escolher sapatos básicos e clássicos são a melhor opção!

 

Style you

A Não Perder!

documentario-yayoi-kusama-1200x675.jpg

Uma das artistas mais valorizadas na arte contemporânea actualmente, a japonesa Yayoi Kusama, prestes a completar 90 anos, é tema de um documentário fundamental sobre a sua vida e carreira: Kusama Infinity.

 

O filme dirigido por Heather Lenz já estreou em Sundance no início do ano e chegou aos cinemas Americanos no ínicio do mês de Setembro, sendo que a directora também irá igualmente coloca-lo na plataforma de streaming Hulu.

 

Já se sabe da obsessão de Kusama por bolas e também já muito se leu sobre os seus problemas psicológicos e mentais, mas o documentário cumpre o seu papel e vai muito além da superfície para mostrar um retrato intenso de uma mulher que, por muito tempo, viveu isolada e sozinha.

 

O filme mostra a artista desde o início da carreira, as barreiras que quebrou, os sacrifícios que fez e os caminhos que percorreu para se tornar respeitada. Yayoi lutou contra o sexismo da época e também enfrentou uma depressão muito forte que culminou numa tentativa de suicídio. Uma das pérolas do filme é conhecer sua relação pupilo-mestre com a pintora Georgia O’Keeffe, que a aconselhou a ir para os EUA e levar sua arte junto. “Transformei meu trauma em arte”, diz a artista.

 

Yayoi nasceu e cresceu no Japão durante a Segunda Guerra Mundial numa familia disfuncional que desencorajava totalmente suas ambições criativas. Por décadas, o seu trabalhou a afastava tanto de seus colegas quanto das pessoas que tinham poder no mundo da arte. Mesmo com tudo isso, ela criou um legado que abrange pintura, instalação, escultura, performance, poesia e até roupas, em colaborações com marcas como Louis Vuitton.

 

Ver aqui o trailer do filme.

O Pescoço e Decote

Saber escolher as roupas que melhor ficam, conhecer bem o corpo e poder melhorar certos aspectos ou até ocultar outros…tudo isto é importante para que a aparência esteja muito bem favorecida, igualmente graças às roupas que se usa!

 

A ter em conta algumas dicas de como escolher a roupa indicada, tendo em conta o pescoço e a zona do decote, pois o corpo humano não é perfeito, contudo para tudo existe uma solução:

- Pescoço longo

Para um pescoço longo e um decote bonito, tudo lhe cai bem. Aproveitar para usar roupas com decotes em V, circular, halteres, etc

Se por outro lado o pescoço é  longo mas o decote não é tão bonito, então optar empre pelos decotes com formato mais arredondados

 

- Pescoço curto

Para um pescoço curto ou pequeno apostar no decote em V para alongar visualmente a silhueta. Evitar os formatos arredondados e os colares curtos e/ou chamativos. Pelo contrário, os colares longos tendem a ajudar a alongar o pescoço

Evitar os chapéus muito grandes, pois estes aumentam as proporções da cabeça em relação ao seu pescoço fazendo o pescoço parecer mais curto

 

- Para um Decote bonito

Para quem gosta de usar decotes, mas essa zona está flácida, pode-se usar a parte de cima um pouco mais coberta, tampando assim as imperfeições e dando um aspecto diferente ao visual

 

Ter somente em atenção, na hora de escolher as roupas e de acordo com a morfologia, adaptar sempre o visual com as necessidades, seguir a moda, mas sempre com a cabeça e se houver um momento de incerteza, é porque a roupa não faz de todo o estilo pessoal, logo não se deve usar!

 

Style you

Para Burberry

Burberry-Logo.jpg

Há seis meses no cargo de director criativo da Burberry, Riccardo Tisci já começa começa a ser bastante falado no mundo da moda após divulgar pelo Instagram o novo logotipo e monograma da tradicional marca Britânica, que, por 20 anos, se mantiveram inalterados.

 

Em parceria com Peter Saville – director artístico e designer gráfico também responsável pela transformação do logo da Calvin Klein sob comando de Raf Simons – Tisci traz à nova era da marca um formato visual moderno sem grandes detalhes, apresentando letras mais rígidas em maiúsculo com a escrita “Burberry London England”.

 

Conhecido pela estética gótica alinhado a um estilo bastante streetwear, Tisci também faz uma homenagem à Thomas Burberry, que fundou a marca em 1856, com o monograma “TB”, também com design de Saville.

 

Tisci causa uma mudança significativa na história da Burberry e, sobretudo, na estreia para o Verão 2019, que promete dar que falar.

O Tom de Pele

É muito importante escolher as cores que melhor se ajustam a cada tom de pele! A melhor opção é sempre aquela que faz com que a cor natural fique ainda melhor do que já é.

 

Muitas mulheres não sabem combinar roupas e acessórios que ajudem a acentuar o tom da sua pele, melhorando assim sua imagem.

 

A ter em conta as dicas sobre como escolher as cores que ficam bem com cada tom de pele:

- A primeira coisa a fazer é identificar o tom de pele que se tem.

Normalmente existem 4 tons de pele: Inverno, Verão, Outono e Primavera, assim como as estações do ano

 

O Inverno seria a pele branca pálida, ou amarela e também os olhos tendem a ser claros. As pessoas Verão tem a pele rosada ou pálida e olhos azuis, com cabelos loiros. As Outono tem a pele dourada, com olhos castanhos, mas também pode ser ruivas ou morenas. A Primavera tem olhos azuis ou verdes, com as bochechas rosadas

que 

 

- Depois de saber que tipo de pele se tem, então saber-se-á quais as cores que vão funcionar melhor.

Pessoas Inverno devem usar roupas de cores vivas, ou claras mesmo. Por exemplo, encarnado ou branco são melhores do que o dourado e laranja. Para Verão optar por cores suaves, tons neutros e pastéis vão bem, por exemplo, azul, rosa e castanho. Cores como laranja, dourado, castanho escuro são os melhores para as pessoas Outono. O castanho dourado, os pêssegos são boas para Primavera

 

- Geralmente deve-se usar igualmente a cor que melhor combina com o estilo pessoal, então não é necessário discriminar as cores que mais se gosta.

 

Tentar o quanto possível, usar cores diferentes, para conferir se o tom de pele melhorou. Se necessário, no momento da escolha ou compra, levar uma máquina fotográfica e tirar uma fotografia com cada peça que se vestir, de cores diferentes - assim a escolha será feita com mais facilidade.

 

Style you

News

Catolica_MktLuxo.jpg

Estão abertas as candidaturas para o Programa Executivo de Marketing de Produtos e Serviços de Luxo da Católica Lisbon Business & Economicsque comemora este ano a sua 10ª edição com muitas novidades.

 

A ambição deste Programa, pioneiro em Portugal, sempre foi a de formar executivos que trabalhem ou queiram trabalhar na área do luxo, independentemente do seu setor de atividade ou função, contribuindo assim para a formação da nova geração de profissionais de luxo portugueses. 

 

O Programa propõe uma abrangente viagem de 360 graus sobre os negócios do luxo. Conta com um grupo de professores nacional e internacional com experiência académica e profissional na área do luxo e uma visão muito atual e profunda sobre os distintos desafios que este universo enfrenta.

 

Vários case studies, contacto privilegiado com profissionais convidados, visitas a marcas/empresas luxo, bem como um fim de semana residencial de visita aos bastidores do luxo português e seus protagonistas, constituem uma dimensão muito prática deste programa. Acresce um espaço de discussão e partilha – Luxury Active Sharing – com antigos e atuais alunos e um programa de mentoring inovador com profissionais da indústria, bem como momentos de networking e diversão. 

 

O Programa será ministrado no Porto (início a 21 de setembro) e em Lisboa (início a 28 de setembro).

 

Candidaturas em: www.clsbe.lisboa.ucp.pt/executivos/luxo

(Notícia ModaLisboa)

Os Tipos de Saias

Assim como os vestidos, as saias são sinónimo de feminilidade e sedução!

 

Curtas, médias ou longas: estão sempre na moda. Podem ser básicas ou sofisticadas. Perfeitas para serem usadas no Verão ou no Inverno.

 

Existem vários tipos de cortes de saia. A conferir e escolher os mais indicados:

- Recta

Tem a mesma largura da cintura até os joelhos. É básica e fica bem em quase todos os tipos de corpo.

 

- Bolha

Só combina com mulheres altas e magras, com pouco de glúteos, pois é levemente larga nos quadris e afunilada nas pernas, em direcção à bainha.

 

- Saia de tiras

Feita com tiras de tecido em toda a volta, requer pernas bem torneadas para vesti-la, pois as tiras revelam os contornos dos membros à medida que a mulher caminha.

 

- Godé

Ideal para mulheres magras ou com ancas largas. É a saia cortada em forma de círculo, justa na cintura e que se abre no comprimento. Popularizou-se nos Anos 50, no auge do “rock and roll”, pois dá um óptimo efeito para dançar.

 

- Kilt

Ideal para as mais magras. Também conhecida como saia colegial, tem pregas em toda a volta, da cintura à barra. Em algumas versões, as pregas são costuradas e fechadas na região das ancas.

 

- Plissé soleil ou sunburst

Fica bem em quase todos os tipos de corpo. Plissada em toda a volta, quando confeccionada com tecidos finos, provoca um efeito dançante e bem feminino.

 

- Saia com fenda

Modelo criado para facilitar os passos do tango. Fica muito bem em quem tem pernas grossas e ancas largas, pois a linha vertical afina a silhueta. Não deve ser muito justa.

 

- Mini saia

Saia que termina no meio da coxa. Pode rejuvenescer um visual, mas só deve ser usada por mulheres com pernas bem torneadas.

 

- Micro saia

Ainda mais curta que a minissaia, termina quatro ou cinco dedos abaixo da linha das nádegas. Também só veste bem mulheres jovens com pernas bem torneadas.

 

- Saia máxi

É o oposto da microssaia, geralmente rodada e com comprimento até os pés. Foi muito usada no fim dos anos 60, com botas. Óptima para mulheres altas ou com corpo proporcional

 

- Evasê

É o modelo com uma leve abertura em direcção à bainha. Pode ser confeccionado em diferentes tecidos e fica bem em todo tipo de silhueta. É muito recomendado para quem tem ancas largas, pois fica mais solto nessa região, sem marcá-la. Os tecidos com mais textura e encorpados devem ser evitados pelas mais gordinhas, para não adicionar mais volume à região. As cores escuras, compostas com blusas claras ou com detalhes, também favorecem.

 

- Sereia

Modelo justo nas ancas e com comprimento até a altura dos joelhos, abrindo em direcção à bainha. Fica bem apenas em mulheres com pernas longas e ancas pequenas.

 

- Envelope

Tem o efeito de um corte recto, por isso fica bem em todo tipo de corpo. É feito a partir de um tecido rectangular trespassado na cintura e amarrado. Pode realçar a ausência de cintura.

 

-Hippie

Modelo longo e bastante rodado. Feito de tecidos finos e moles, podendo ser lisos, em patchwork, com estampados e padrões indianos ou orientais. Deve ser usada com sapatos mais baixos, e é uma boa opção tanto para mulheres magras quanto gordinhas e baixinhas, pois alongam a silhueta.

 

Style you